Empresários brasileiros, em nenhuma outra época tivemos que nos mobilizar tão rapidamente e mudar a nossa forma de trabalho e das relações profissionais de um dia para a noite. As organizações no país, de todos os segmentos, estão buscando alternativas para minimizar o risco de contágio da população, seja porque já existe a recomendação dos órgãos governamentais, ou porque sabemos da nossa responsabilidade social.

Estamos buscando estar a par das notícias e trocar experiências com RH’s e Diretores de outras empresas, pequenas, médias e grandes, para saber como e o que fazer em relação aos cuidados e prevenções quanto organização, além de acompanhar informativos do Ministério do Trabalho, que tenham informações diretas e objetivas para esse momento.

Para que possa ficar a par, seguem alguns exemplos que estão sendo adotados por empresas, que é claro, dependem de variáveis quanto negócio, segmento, cultura, entre outras coisas:

*Flexibilização de horário, com eventual redução de carga horária, para que tenha menos impacto de aglomeração nos transportes públicos;
*Home office, para quem seja possível, e tiver recursos como tecnologia e atividade online;
*Evitar reuniões com portas fechadas e que as pessoas estejam a menos de 2m de distância uma da outra;
*Se tiver espaço físico grande, separe os profissionais, com a mesma distância citada acima;
*Distribuição de álcool em gel para cada colaborador e incentivo ao uso frequente, aumentando a limpeza do ambiente de trabalho;
*Avaliação individual de cada colaborador, caso tenham viajado nos últimos 15 dias para fora do estado ou país, buscando entender a rota de casa-trabalho-casa e se for necessário e ainda tiver contato com pessoas de risco, manter em casa esse profissional, sem prejuízo de salário;
*Considere dividir a rotina de trabalho em equipes A e B para reduzir o número de pessoas no local de trabalho a qualquer momento e reduzir o risco de infecção, nos próximos dias.

É provável que o surto do vírus afete os colaboradores de maneiras diferentes. Isso afetará desproporcionalmente algumas pessoas, por exemplo, se as escolas fecharem e mães e pais precisarem ficar em casa. Alguns profissionais vão precisar continuar trabalhando, enquanto outros se isolam ou param de trabalhar, e então atue com justiça no seu ambiente profissional, e avalie casos excepcionais. Alguns moram com idosos e/ou pessoas caracterizadas como de alto risco (transplantadas, com síndromes, diabéticas, etc), e isso pode influenciar na sua produtividade. Fique atento a esses detalhes.

Se precisarem de qualquer apoio, estamos dispostos a ajudar, lembrando que não daremos conselhos jurídicos, porém temos nesse momento o dever de apoiar e compartilhar boas práticas.

Share This