Dia: 9 de julho de 2021

Como você potencializa o que seu colaborador faz bem?

Quase sempre em reunião com os empresários conversamos sobre o tema desenvolvimento, principalmente de lideranças. Aliás esse papo é muito comum em todos os momentos que estou com eles, em suas empresas.

Estamos muito acostumados no ambiente corporativo a reforçar o que os profissionais precisam melhorar e raras as vezes que conseguimos identificar e corroborar o que eles tem de ponto forte.

Quando levanto essa questão para os empresários, escuto frequentemente que os pontos fracos de um colaborador são determinantes nos resultados da empresa. E aí vem a pergunta: E se você potencializar os talentos desse colaborador, o que ele pode te entregar como resultado?

Ajudar o colaborador a evoluir é fundamental nesse cenário. Os pontos fracos são uma realidade dentro das empresas, já que não existe um colaborador perfeito e sem defeitos. E por isso precisamos entender o que cada um tem de potencialidade, para permitir que ele entregue o máximo que puder.
Por esse motivo, as empresas precisam se preparar para lidar com as fraquezas de seus funcionários, é claro, mas principalmente focar nos caminhos que o ajudem a evoluir, desenvolvendo o que ele já faz bem.

Pense em um colaborador da sua área de vendas, no cargo de supervisão comercial, que não está entregando as metas a algum tempo, mas possui uma competência de relacionamento interpessoal e persuasão acima da média, além de você confiar bastante nele. Porém esse profissional precisa entender mais sobre números, além de agir com maior determinação com sua equipe. Muitos são os caminhos para seu desenvolvimento e, consequentemente, para gerar resultados financeiros para seu negócio, porém é necessário também avaliar se tem tido todos os recursos a sua disposição e como você, como reporte imediato, está o auxiliando nessas metas. Pode ser também que a gestão comercial não seja para ele e que seria melhor estar na gestão administrativa, porque além das competências citadas, pode também ser organizado e proativo. O que pode ter feito você ter promovido a gestor sem tê-lo preparado para isso.

Esse é um exemplo de muitos que acompanho. E por isso quero ressaltar a importância de mapear os talentos de cada colaborador, antes de qualquer decisão de movimentação desse profissional, do que eles fazem bem a ponto de gerar resultado para sua empresa. São essas competências que vão fazer o resultado ser constante, porque se focarmos somente nas fraquezas, o máximo que conseguirá entregar, caso passe por um programa de desenvolvimento estruturado, é ser mediano naquilo que achamos que precisa fazer melhor. Você tornará sua empresa em um negócio de profissionais medianos. É isso que você quer?

Recomendo a leitura de um livro que trabalho, com profissionais que estão desenvolvendo suas competências: Descubra Seus Pontos Fortes. Os autores Marcus Buckingham e Donald O. Clifton descobriram que a maioria das empresas dá pouca ou nenhuma atenção aos pontos fortes de seus funcionários. Preferem investir tempo e dinheiro na tarefa de corrigir suas fraquezas, achando que desse modo as pessoas atingirão a excelência.

Minha visão é completamente diferente de muitas empresas que insistem em apontar os pontos fracos: invista em conhecer mais sobre seus colaboradores e se aprofunde naquilo que ele faz bem, que faz com que os olhos brilhem quando estão trabalhando, que você percebe que são referência dentro do ambiente de trabalho. A avaliação constante, o alinhamento de expectativas e de propósito, vai fazer toda a diferença para reter talentos, que de fato entregam aquilo que espera. Fique atento as individualidades e seus resultados, para que possa ter na sua equipe apenas colaboradores que atinjam seus objetivos.

Ficou na dúvida como mapear os talentos e avaliá-los? Mande uma mensagem para marcarmos um café e assim poder te ajudar no início dessa identificação dos pontos fortes dos seus colaboradores.

Adriane Boueri
Diretora de Operações

O que preciso fazer para que a equipe pense como dono do negócio?

Engajar colaboradores no propósito da empresa é uma das ações mais desafiadoras de pequenos e médios empresários. Não somente porque estamos lidando com pessoas e cada uma tem seu jeito de se envolver com o negócio e entregar resultados, mas principalmente porque não sabem como fazer isso. Acreditam que muitos querem um emprego e não um trabalho, são conformados com a posição que estão e não tentam evoluir ou melhorar, e por isso acabam concluindo que todos estão ali só para ganhar salário. Mas fique atento: muitos não são todos!

Será que no papel de líder, como gestor de pessoas, você está envolvendo os colaboradores para que eles pensem como donos do negócio? Essa é a provocação que quero fazer nesse artigo.

Conseguir o comprometimento do colaborador para que foque no resultado da empresa é uma tarefa diária e exige a compreensão dos anseios, angústias e ambições individuais. Para levantar isso existe uma demanda de tempo e esforço do empresário, com o mesmo peso de planejar financeiramente ou estrategicamente seu negócio. Gerir pessoas é uma via de mão dupla, você precisar dar para poder receber. E não adianta pensar que já paga o salário e isso basta. O ser humano precisa de muito mais que isso. É provado que a necessidade de Realização Pessoal é de fato real. É isso que precisa ser desenvolvido na relação.

Hoje em dia uma competência muito discutida é de intraempreendedorismo. O conceito dela basicamente é sobre a prática dos colaboradores darem ideias para a rotina diária, inovarem em processos já existentes e buscarem novas oportunidades e alternativas para que a empresa tenha um melhor funcionamento. Já vi isso acontecendo em algumas empresas, e garanto, elas estão alguns passos à frente de quem não despertou para esse envolvimento das equipes.

Parece não ser real isso acontecer? Mas acontece sim, em empresas que apoiam e reforçam esse tipo de comportamento, sejam elas grandes, médias ou pequenas. O que precisa ser feito é incentivar a criatividade e estar aberto às novidades que a equipe traga, sempre dando feedback e acompanhando as suas ideias e atividades.

Existem diversas formas de engajar os colaboradores, mas a mais importante é gerar a confiança da relação. Devemos mostrar ao outro que é importante para o negócio e através de ações práticas e rotineiras pode se ter o engajamento tão esperado.

Me conte como faz para envolver seus colaboradores com os resultados da sua empresa. Ficarei feliz em apoiar te dando ideias.

Quer saber como planejar ações para engajar seus colaboradores?

Entre em contato com a gente que pensaremos juntos como podemos apoiá-lo com as nossas soluções.

Até a próxima!

Adriane Boueri
Diretora de Operações

Parece que falo e nenhum colaborador me entende!

Manter uma comunicação eficaz na sua empresa é um desafio constante para gestores e empresários. A perda de produtividade pode vir de uma comunicação falha e causa um ambiente de trabalho ruim, com muita fofoca e perda de confiabilidade (inclusive pelos clientes!).

Você sabia que a implementação de práticas de comunicação torna as empresas 5 vezes mais propensas a ter colaboradores mais engajados e 20% mais propensos a ter uma menor rotatividade? Percebe como o tema é muito importante para seu negócio? A capacidade de envolver colaboradores em torno dos objetivos de uma empresa é uma das habilidades mais exigidas dos gestores do século XXI.

Existem muitas técnicas e metodologias que podem ser aplicadas, mas a principal característica é: seja franco! Uma pessoa pode ser franca com relação a qualquer assunto, sem ser ofensiva. O importante é deixar as emoções e as opiniões pessoais de fora da conversa, ser o mais profissional que pode e trazer dados e fatos, sempre que possível.

O óbvio precisa ser dito, lembre-se disso sempre! Uma boa comunicação com a equipe vem com toda a delegação de responsabilidades de maneira clara e prática. O que um entende pode ser o que outro não está entendendo. Mesmo que o gestor saiba com clareza os objetivos o que quer alcançar e como pretende fazer isso, de nada irá adiantar se ele não souber transmitir essa informação aos colaboradores. E da forma que eles entendam, não do jeito que você entende.


Quero lhe passar 5 dicas práticas para que comece
desde já treinando a sua forma de comunicar-se:

1 – Transmitir segurança ao falar, em vez de ameaça, e encorajar os demais a se expressarem com honestidade;

2 – Tenha 5 ou 10 minutos de reuniões diárias com sua equipe. Além disso, tente escrever um relatório de progresso para prestação de contas que contenha uma comunicação clara;

3 – Faça reuniões semanais ou quinzenais (no mesmo dia, na mesma hora) com dados mais específicos e importantes para o negócio, para realmente melhorar a comunicação e assim a produtividade. Isso gera maior responsabilidade nos membros da equipe;

4 – Utilize de painéis informativos (murais) ou locais online que sabe que pode guardar as informações. Existem boas ferramentas para isso (podemos tomar um café e conversar a respeito delas).

Importante também no momento do feedback, que pode ser individual ou em grupo, é ser um bom ouvinte. Se você possui a habilidade de escutar as pessoas, certamente conseguirá receber feedbacks mais frequentes e relevantes da equipe — não somente sobre os resultados em si, mas também do seu próprio desempenho como gestor.

Quando o gestor investe na comunicação com a equipe, certamente conseguirá estabelecer conversas mais relevantes com seus colaboradores e fazê-los se sentirem valorizados. E sem dúvida crescer com seu negócio, algo muito importante para você!

Te convido a tomar um café para levantarmos ideias sobre a sua comunicação com seus colaboradores. Mande uma mensagem que entrarei em contato em breve.

Até!

Adriane Boueri
Diretora de Operações

Como contratar um novo funcionário, já alinhando o que espero dele?

Todo empresário que converso me diz que sua maior dificuldade é contratar o funcionário certo para o cargo certo. Por onde começar a buscar? O que dizer na entrevista? Como conduzir um processo que gere resultado para ambas as partes?

Reter o profissional que tem talento começa na contratação. Demitir o que não gera resultado também. Isso porque alinhar as expectativas da empresa com as do profissional é um processo direto, mas bem delicado. Temos um CNPJ de um lado e do outro um CPF. Como conciliar os dois?

O primeiro passo é entender o que está buscando, quais são os resultados que espera e quais são as habilidades que precisa buscar do seu novo contratado. Se aprofundar nas suas atividades e informar a ele é uma outra etapa de supra importância. Nesse momento é que começamos a buscar essa troca de habilidades para o cargo com o salário que a empresa irá pagar.

Existem etapas importantes para iniciar o compromisso mútuo,
entre o empregado e empregador.
Veja algumas delas:

1) Seja claro e transparente no momento que estiver entrevistando candidatos, passando todas as informações necessárias sobre a empresa e o cargo, e também deixe ele falar sobre sua experiência e expectativa;

2) Depois de acertado que ele é o colaborador ideal para aquela vaga, reforce o compromisso mútuo e estabeleça o que espera como resultado, sendo mensurável ou não. Nesse momento é que existe a conversa sobre metas e comportamentos esperados;

3) Se comprometa com sua equipe de avaliar seu desempenho de tempos e tempos. O importante aqui é entender quais são os funcionários que entregam acima da média e aqueles que não geram resultados, mesmo sendo acompanhados e tendo feedbacks.

Caso esteja passando por todas as etapas e ainda não tem a equipe que deseja, precisamos conversar. Entre em contato comigo e vamos tomar um café.


Adriane Boueri

Diretora de Operações

5 dicas para formar uma equipe campeã!

“O técnico sempre perde o jogo. Quem o vence é o time”. Apesar de o clichê ser pertinente nesse ano de
Olimpíadas, a ideia inserida nas frases é atemporal no mundo corporativo. E não é complicado entender o porquê: por mais que queira, um coordenador ou gestor sozinho não é capaz de produzir os resultados que a empresa espera. Muito menos vai ter pessoas produtivas se as tratar como um grupo subordinado, apenas.

Um gestor só vai alcançar as metas estipuladas pela direção se puder contar com uma equipe equilibrada, madura e alinhada com os objetivos da empresa. Pensando nisso, preparei 5 dicas valiosas para você formar uma equipe campeã na sua empresa. Confira!

1. ELEJA LÍDERES, NÃO CHEFES

Essa dica não é a primeira por acaso. A liderança é uma qualidade essencial – para não dizer a mais importante – para o sucesso de qualquer corporação, independentemente do seu porte. Mas muitas pessoas dentro das empresas ainda tem dificuldade em distinguir um líder de um chefe.

O primeiro é aquele que engaja seus parceiros e os motiva a produzir de forma inteligente e prazerosa. Os chefes, no entanto, remetem às antigas empresas nas quais uma figura rígida assumia o controle de tudo. Aos seus subordinados só restava obedecer, sem questionar ou acrescentar ideias novas. Fuja desse padrão!

2. LIDERE PELO EXEMPLO

A melhor maneira de ensinar um caminho é passando por ele. Então, para ter uma equipe afinada, o melhor a se fazer é mostrar, no dia a dia, a melhor forma de conduzir o trabalho. Se os gestores são disciplinados, eles serão exemplos para outros colaboradores.

O líder que é focado e disciplinado, sem perder a gentileza e a boa vontade em auxiliar os seus colegas, das questões mais simples às mais complexas, certamente será admirado e respeitado por toda a equipe, reforçando na prática o conceito de liderança.

3. SELECIONE OS MELHORES PROFISSIONAIS

Não adianta a empresa investir em treinamentos e contar com líderes excepcionais se a equipe não souber tirar proveito disso. Por isso é tão importante que os membros estejam realmente aptos aos cargos que ocupam.

E engana-se quem pensa que a seleção seja tarefa exclusiva do departamento de recursos humanos.
Também cabe ao gestor de cada área avaliar a conduta de sua futura equipe. Além da experiência
profissional e formação específica, o colaborador ideal reúne características interpessoais como fácil
relacionamento, espírito colaborativo, foco nos resultados, disciplina, proatividade e respeito às
hierarquias, entre muitas outras.

4. GARANTA OBJETIVOS ALINHADOS ENTRE COLABORADORES E EMPRESA

O sucesso no mundo corporativo tem relação direta com os objetivos traçados. Vou explicar melhor.
Imagine uma empresa de serviços que tem como objetivo principal se tornar líder do mercado nas
principais capitais do país em 3 anos, sendo que atualmente ela ocupa a 2º posição. Para alcançar essa marca, a empresa vai ter que contar com uma equipe que pense junto com ela, ou seja, que esteja disposta a trabalhar duro em 3 anos para obter benefícios futuros, com a planejada prosperidade da empresa.

Nesse caso, contar com colaboradores extremamente qualificados não bastará. Será imprescindível que os objetivos pessoais e profissionais deles estejam em sintonia com os da instituição naquele momento e que, através de cursos e treinamentos, eles se tronem mais preparados para o momento.

5. PLANEJE METAS PARA EQUIPE

Com os objetivos traçados e os líderes identificados, chega o ponto mais importante: o planejamento. Essa etapa é fundamental para que os colaboradores realmente tenham meios para atuar de forma eficaz. As estratégias definidas aqui levarão a equipe aos objetivos e, por consequência, a empresa ao sucesso.

Por fim, deixo uma dica extra! A técnica DISC, também conhecida como uma metodologia de análise de
perfil comportamental, é uma ferramenta extremamente útil para os gestores que desejam uma equipe
campeã, já que auxilia o líder a identificar o potencial mais forte em cada membro dessa equipe. Invista
sempre em cursos e treinamentos, já que a atualização reforça os conceitos explicados nesse artigo.

Precisa de ajuda para ter continuidade nos projetos de gestão de pessoas na sua empresa?

Entre em contato conosco: http://bit.ly/contatoattua

Jorge Pinheiro
Consultor Sênior da Attua Gente e Gestão

Nós sabemos o que sua empresa precisa em RH!

Faça seu Diagnostico de RH gratuito e de o primeiro passo nessa trilha!